terça-feira, 3 de maio de 2011

MAIS UMA GOTA DE MIM


MAIS UMA GOTA DE MIM
(Everton Cinelli)

Eu parei hoje em algum lugar desse mundo infectado

Percebendo os olhares, faces de uma rua qualquer

Eu senti vontade de gritar, ser mais forte

Eu queria ter lágrimas nesses olhos acostumados com a destruição

Você percebe que a vida passou quando, de tudo, só restou você mesmo

Quando você sorri e sente que a máscara pode cair a qualquer momento

Sabemos quando é hora de partir, por que não há um só lugar que seja nosso

Não há um só abraço que seja eterno, nem um só amor que seja tão sincero

E eu caí, e eu caí... Sabe-se lá aonde... Sabe-se lá por que

Essa desfigurada beleza, desprendida de mudanças

É uma vida tola, é uma vida rasa, e você sabe exatamente o que dizer

Esse é seu caminho, é uma escolha difícil pra qualquer um de nós

Eu já desisti de sofrer, de me debater, por que nada muda

Não existe um só passo do grande ciclo que vai ser alterado

E nós estamos aqui, esperando um grande amor, um remédio pra dor

Escrevendo canções pra uma manhã que nunca vai existir

Existe sempre um dia depois do final feliz

Mas sabe? Eu só consigo lembrar que tenho pra onde ir

Mesmo sabendo que o mundo é meu jardim

Eu só consigo querer um lar: o teu coração

Sinto que deixo partes minhas em todo lugar

E que meus olhos são o sol e eles são a lua

E te olham o tempo todo, iluminando sua distância

Mas ainda sinto o perfume, o cheiro do vazio


Eu vou perdendo o controle, por que tudo isso me assusta

Só consigo pensar em quantos dias passaram antes de você estar visível

E por que tudo na vida parece perder o sentido se não tiver as suas cores

Não o importa o quanto eu faça, nem o quão alto eu chegue

Por que, se você não for minha estrela, nunca haverá uma bela noite


Nenhum comentário: