sábado, 10 de março de 2012

Filhos do Segredo



[Everton Cinelli]

Mais um dia na cidade triste, mais um momento, um flash, um simples abrir e fechar de olhos, e se perde toda uma vida.
Os homens construíram fortalezas que nunca os protegeram de si mesmos, eles forjaram um mundo baseado no fim, um mundo baseado na perda. Aprendemos a convencer e nos esquecemos de dividir, por que rejeitar se tornou mais importante que abraçar... Quem disse que mentir seria o melhor caminho? Existem rachaduras na estrutura da vida como nos foi apresentada, existem fissuras no espírito maior que vaga esguio e altivo pelo mundo, existem flores mortas no jardim do criador.
Eu observo a silhueta, ainda calma e silenciosa, caminhando com suas asas, pisando em nuvens, colhendo estrelas de um anoitecer distante ainda. Ela olha pra esse mundo, lembrando o que ele já foi, e do que ele representa. Chora, e seu choro é tempestade... Fala, e sua voz é ventania!
Filhos do segredo, amantes involuntários da superficialidade. Quem nos fez assim? Quando foi que tudo perdeu o sentido?




Nenhum comentário: