segunda-feira, 23 de julho de 2012

Os Breves Infinitos


 
Alguns segundos, e tudo, tudo pode mudar
Uma vida feita de detalhes, na grandeza de algumas palavras
A singeleza de um equivocado sorriso
O adeus de mãos trêmulas, o toque insensato e poderoso
O refrão marcante, as estrelas do céu ao norte
 Aquela brisa da tarde, o grito mudo da alma
A voz repetida, mas amada... A única música que danço
A lágrima amiga, que se despede dos olhos e encontra o solo

No rádio, ondas e mais ondas de mesmiçe
E eu aqui, pronto pra mudar o mundo, envelheço enquanto jovem
Revirando livros, bagunçando o espírito desse tempo
 Observando a arte que logra a pasmaceira criatividade
Um mundo que se tornou tolo demais pra felicidade
Que se tornou vazio demais, impróprio pra pureza
E, se uma folha, com algumas palavras escritas nela, fosse capaz de mudar tudo
Acho que a queimariam, porque o sabor da liberdade é azedo quando totalmente desconhecido

 
 
 

Nenhum comentário: