sábado, 21 de dezembro de 2013

Em Uma Doce Tarde...





Esses sorrisos, esses abraços, tênues barreiras
Essas lembranças, um punhado de papéis sobre a mesa
Um toque discreto, alguma mensagem amenizadora?
A campainha soa livre de remorsos... Há alguém chamando?
E amor... Você tem aí para repartir entre nós?
Luz... luz você tem?
Por favor, por favor... Diga que dessa vez existe mais que apenas palavras
Viu o noticiário? Hoje chove, e o vento frio vai roubar nossa esperança
Porque a demanda da vida tem aumentado, mas a verdade diminuído
Queremos deuses? Heróis? Ou apenas amigos??
Não, não passe sem notar, vire o rosto... Poderia ser você ali, esmolando seus amanhãs
Sinta, ao menos ouça! É tão bonita a cor do céu em seus olhos
Encontraremos certeza, ou faremos mais caprichadas perguntas?!
Porque eu sinto isso tão intensamente, aqui sozinho, junto de todos vocês
É uma melodia triste, mas tão graciosamente encorajadora
Vamos pular sem medo, e doar toda nossa energia por alguma causa revolucionária
Mas revolucionaremos nossos corações também?
Cometam o crime de amar! Sejam o réu nesse tribunal!
Te acusarão porque você não se deixou levar... Vá no refluxo, vai doer...
Mas o mundo irá se curar através do sacrifício de alguns!