segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

ADAMU

"Talvez aqui, outrora amanhã
Significados são descobertos
Nossas almas, intrépidas, lutaram cegas
Guiadas por mil palavras e por verdade dirigida
Nós mesmos acreditamos
Mas nossas canções desconfiam
Repetimos para o convencimento
Mas o buraco persiste

Interdimensionalidade-multidimensionalidade fractual
Aquiescência muda, mas competente
Bandeiras bruxuleando no horizonte sombrio
Brilhos no céu, nos confundem entre bombas e fogos de artifício
Sorrisos nos agarram em suas redes-de-pesca
Somos intencionalmente banidos de nós
Perambulando por cenários meticulosamente formulados
Fé baldia, num mundo onde, claramente, somos hóspedes

Não bastava toda mentira que nos contam
A imersão diária na mentira que somos
Pleiteando e esmolando futuros e belos amanhãs
Estamos correndo, lutando o tempo todo... E por quê?
Guerras inventadas, preconceito como brasão
A problemática aceitação da eugenia etno-poética-ideológica-pseudo-afirmativa
Roteirizaram a extinção de todos nós
Afinal, não estamos sós, se de mão dadas, caminharmos pro abismo"

Texto: ADAMU
Autor: Everton Cinelli
Link: http://www.recantodasletras.com.br/poesias/5527535