quinta-feira, 10 de março de 2016

Carpe Noctem


Carpe Noctem

Por: E. Cinelli
Postado originalmente em: http://www.recantodasletras.com.br/eroticos/5569605



A marcha da noite avançava pelas silenciosas vias lá fora
Dentro do quarto estávamos imersos em um abismo multicolorido
A luz tremeluzente se afogava nos desejos e nas intenções maliciosas
A escuridão nos cercava, e seus braços delicados nos guiavam numa dança
Dança de olhares, dança de pensamentos... Era o nosso momento
Seus olhos se escondiam na penumbra da pele não tocada
Como um anjo desnudo, seu passo estremeceu meu espírito
E cada vez mais perto, meu corpo todo respondia à sua presença

Meu sexo já se expunha intumescido, acrescido de vigor
E suas curvas delineavam o gozo ao qual cada molécula minha se dirigia
Cada parte sua me alimentava, e era como um despertar
Você foi chegando perto, e junto veio o cheiro e o timbre da carne
As almas se ligam antes dos corpos, era possível sentir você na minha pulsação
Seu toque subiu ao meu cérebro como uma colisão de mundos
Suas mãos subindo, delicadamente, por minhas pernas
Vagarosa e deliciosamente percorria o caminho da minha ereção

Seus olhos escondidos atrás dos fios dos seus cabelos
E suas mãos assanhadas encontram minha vigorosa oferta de amor
Você se entrega a um tipo de frenesi, e começa a se tocar
A ganância com que meu corpo quer o seu chega a ser assustadora
Seu corpo lindo é tocado pela fraca luz
Enquanto, num tipo de dança, você rebola como uma luz fractal
Assim, como um servo, me jogo ao chão pesadamente
Quero me alimentar da seiva que seu sexo produz

Assim, minha língua encontra suas pernas
E vou sentindo seu gosto a cada parte beijada e tocada
Um gosto peculiar de liberdade e selvageria
Suas mãos tomam minha cabeça, e eu satisfaço nossos desejos
Sentindo você na minha boca, como um alimento
E eu, me nutrindo de sua volúpia e de seu gozo
Como um elixir para nossos instintos mais primitivos 
Sinto como que, ao tocar você, eu também sou tocado
Suas mãos me levantam...

Vou levantando, sentindo sua úmida região tocar em mim
Chego a seus seios, e os tomo como um fruto 
Sentindo, beijando, chupando, enquanto minhas mãos te percorrem
Chego ao pescoço, e, ao tocar sua boca, divido com você o seu gosto
É um caleidoscópio de sensações, efervescência dos sentidos
Nossos corpos em aquiescente comunhão
Vou tocando você todinha, sentindo sua pele, suas curvas
Beijo e mordo toda você, numa rendição total ao tesão
Enquanto minhas mãos te possuem, seus lindos seios são minha diversão

Você delicadamente me afasta, e, descendo devagar, vai me beijando
Vou sentindo cada parte tocada e beijada, e a linda imagem de sua boca aventureira
Estremeço todo, enquanto suas mãos tomam o que te é ofertado, e você beija em volta
Uma imagem que deveria ser eternizada: sua nudez, sua beleza e sua entrega
Sinto sua língua encontrar minha vontade endurecida, velada na carne de meu corpo
Suas mãos e sua boca começam um trabalho exótico e lascivamente excitante
Você toca, lambe, chupa, geme, cospe, engole, volta a chupar e assim repetidamente
Agora, de forma quase mágica, põe todo ele em sua boca, sinto tocar fundo sua garganta
Você me olha com olhos perversos... E tira da boca

No desespero voluntário de te possuir, te trago para perto
O aroma de nosso rito toma todo ambiente, nos beijamos em meio ao frenesi
Deito você, e novamente ofereço o melhor de mim entre suas pernas, minha boca te engole gota a gota
E seu corpo convidativamente se abre para mim, meu desejo ínsito me toma
Chego mais perto, seu ardor pode ser sentido, como um alimento eu recebo
Minha carne encontra sua carne, e pouco a pouco estou dentro de você
Nos entregamos completamente... Como é delicioso te sentir assim
Estou por cima de você, embaixo de você, do lado... Você rebolando sobre mim 
E assim seguimos, nessa fricção carnal

Você decididamente se levanta, fica de quatro na minha frente
É uma visão paradisíaca, difícil de ser retratada, uma forma tão maravilhosa de existir
Estamos tomados por tesão e fúria, nossas mentes envolvidas pelo prazer
Do modo grego, beijo você... Você me ordena com furor, e eu me levanto
Entro pouco a pouco por trás, vendo seu corpo todo se contorcer
Essas marcas em você, como hieróglifos, com uma mensagem de sedução
Sou atraído compulsivamente, e te tomo com força desmedida
Assim nos sentimos, cada vez que entro, seu corpo me responde
A dor te é como um canal, por onde semeia e colhe seu orgasmo

A noite vai seguindo sua marcha, e nós, em nosso ritual, nos amamos
Corpos suados, toques violentos: arranhões e tapas... É a fome do outro que nos move
Estou em você, entrando forte, tomando você por trás, você se empina mais
É uma orquestração de movimentos, uma simbiose prazerosa
O ritmo aumenta, estamos em nosso ápice, sinto que você treme toda
Seguro mais forte, você me pede mais, eu dou... E você traz até minha boca o seu gosto
Suas mãos, que antes estavam a tocar você mesma, agora me presenteiam com seu gosto de exultação
Terrivelmente gostoso... Meu corpo já dá sinais, e você os sente

Você se ajoelha a minha frente, como uma serva de si mesma
Toma em suas mãos, e põe em sua boca, a minha oferta de amor
Chupa, suga, e me olha com esse olhar de devoção
Assim, como uma supernova, me sinto explodir!
Você fecha os olhos e me bebe por completo
Não deixa nada escapar, tenho a sensação de esvair-me todo em você
Você não o solta, até ter certeza que tudo de mim está em você
Deliciosamente, me libera, se levanta e me beija, como num último dia de vida

Assim, suprimos nossa essência
E vivemos mais um dia... 
Um delicioso dia!

Nenhum comentário: